disponível online

desmemórias

Beatriz Malcher [4 encontros]

  • Começa em: 4 de out.
  • 300 Reais brasileiros
  • online

vagas disponíveis


programa

desmemórias: escritas do esquecimento Pode a escrita recuperar o que foi esquecido? Ou o preenchimento das lacunas da memória é sempre um processo de ficcionalização do eu e do outro? Pode (e como pode) a memória individual reconfigurar as lacunas deixadas na história coletiva pela historiografia ocidental? A partir destas questões a oficina “desmemórias – escritas do esquecimento” procurará ativar a escrita através do esquecimento e das possibilidades e impossibilidades de (re)produção de memória. Para isso, ao longo de quatro encontros procuraremos discutir poemas, ensaios, fotografias e textos híbridos e, partindo deles, propor exercícios de produção poética que possam tentar responder, ainda que de forma inconclusiva, às questões que abrem a nossa discussão. No fim da oficina procuraremos montar um pequeno caderno de (des)memórias coletivas com os textos produzidos ao longo dos encontros. Beatriz Malcher escreve, pesquisa e ensina literatura. Se doutorou em Teoria Literária (2020), no PPGCL-UFRJ, onde atualmente faz pós-doutorado e leciona. Compôs a sexta turma do Núcleo de Dramaturgia FIRJAN/SESI (2020), onde escreveu as dramaturgias "Onde está Liz dos Santos?" (2020) e “Carro Alegórico" (Hecatombe, 2021). Também é autora da plaquete de poesias “algumas coisas que beatriz esqueceu de contar praquele homem paleolítico” e “nunca namorei ninguém que soubesse andar de bicicleta” (edições próprias, 2021;2022). É pesquisadora integrante do GT Literatura e Sociedade da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Letras e Linguística (ANPOLL); e da rede de cooperação entre pesquisadoras e pesquisadores “Minas Mundo: cosmopolitismo na cultura brasileira”.


sessões