escritas de vida: primeiro encontro



No primeiro encontro da oficina escritas de vida, alguns experimentos, trabalhamos a partir dos textos de quatro autores da nossa antologia: Ricardo Piglia, Anne Carson, Nastassja Martin e Blanca Varela. No plano geral da oficina, o encontro foi sobre as formas de (des)organização do eu, tendo como ambiente o tempo.


As leituras e discussões seguiram mais ou menos assim:


No texto do Piglia, abertura do segundo volume dos diários do Emilio Renzi (alter ego ficcional do autor), pensamos na arbitrariedade da marcação temporal em dias, meses e anos, e nas alternativas de seriação das coisas narradas no diário. No texto, o autor propõe (e abandona) uma seriação temática: organizar os acontecimentos em séries como "eventos políticos que impactaram a minha vida: série A" ou "amigos e encontros com os amigos ao longo dos anos: série B", coisas assim. Pensamos nas vantagens e desvantagens de cada estratégia, e isso apareceu no nosso exercício depois (cuja proposição segue abaixo).


No texto da Carson, vimos como essa seriação pode ser radicalizada e virar até um método, ou exercício (workout). E como esse método pode ser usado pra escrever uma vida a partir das memórias dos outros, que existem no tempo da literatura, no tempo das escritas canônicas, como é o caso dos romances do Marcel Proust. Então é uma forma de fazer crítica, poesia, mas também de se colocar no texto, escrevendo a si a partir de uma personagem esquecida no fundo de um texto literário de outro século.


Depois disso, uma primeira proposição: fazer um pequeno relato dos acontecimentos do dia, usando predominantemente o pretérito perfeito (os verbos no passado), e dando destaque aos acontecimentos e sensações corporais. Coisa curta, umas cinco linhas pra escrever em dez minutos e guardar pra usar mais tarde, no exercício.


Aí voltamos à leitura: agora a Nastassjia Martin, que escreve depois de um ataque de urso que ela sofreu na Sibéria enquanto fazia um trabalho de campo. Nesse texto, tem uma relação que se estabelece com o lugar "entre mundos" que ela ocupa (na interpretação dos nativos even com quem ela trabalha) e os sonhos que ela tem a partir do contato com a matriz cultural deles, em que ela é mátukha (ursa). Falando de um amigo que sabia que ela seria atacada mas não a impediu de ir a campo, ela escreve: "o que ele fez: guiou meus passos para que eu fosse ao encontro do meu sonho". É um sonho que marca o corpo e desloca a escrita para um lugar entre mundos.


Pra terminar, o poema da Blanca Varela, surrealista peruana, chamado segredo de família, em que as imagens se desdobram de forma misteriosa num sonho que não se deixa desvendar totalmente e passa sensações muito físicas, de texturas, cores, uma sinestesia que deixa latente uma violência mas também uma beleza estranha das imagens. Nesses dois textos, observamos o tempo do sonho, que é um tempo do corpo também.


Ficou por aqui nossa leitura. Aí vieram mais duas proposições pra levantarmos material pro nosso exercício:


1. escrever um pequeno relato de sonho, real ou inventado, recente ou de memória, usando predominantemente o presente do indicativo (os verbos no presente). Se não quiser ou não lembrar de nenhum sonho, pode escolher um do site http://dromma.org/ (para ver um sonho aleatório, aperte em ‘random dream’ no cabeçalho). Coisa curta, cinco linhas em dez minutos também. 2. fazer uma pesquisa na Hemeroteca Digital na BN (http://bndigital.bn.gov.br/hemeroteca-digital/ ou https://memoria.bn.br/hdb/periodico.aspx), para buscar uma edição de jornal com a data do seu dia de nascimento. Escolher duas ou três manchetes dessa edição. Em dez minutos também.


Com essas duas coisas prontas mais o relato do dia lá de cima, passamos ao exercício. A proposição final era:


Mesclar o diário de vigília, de sonho e as manchetes escolhidas num texto curto, de até meia página. Se precisar, alternar os períodos dos dois textos e posicionar as manchetes de maneira equidistante, fazendo as adaptações necessárias. Enfatizar os encontros e pontos de ressonância entre as séries.


Foi isso. Os resultados ficaram legais demais. Se quiser arriscar, faz o exercício e manda pro nosso email pelo "fale conosco" aqui do rodapé. Até logo!

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo